Carta dos Estudantes de Comunicação da UFPA sobre a paralisação

Segue na integra o conteúdo da carta dos estudantes de Comunicação que apresenta as reivindicações expostas na última assembleia realizada nesta terça-feira (16/07).

 

Carta dos estudantes da FACOM UFPA:

Paralisamos para não Parar!

Ao magnífico reitor da UFPA

Ao Instituto de Letras e Comunicação – ILC/UFPA

À Faculdade de Comunicação Social da UFPA – FACOM/UFPA

À Comunidade Acadêmica da UFPA e à sociedade,

 

Pa-ra-li-si-a: 1- Privação completa ou diminuição considerável da sensibilidade

ou do movimento voluntário ou, mesmo, de ambas essas coisas, limitada a um

órgão ou generalizada. 2- Entorpecimento, marasmo.

 

Durante assembleia realizada hoje (terça-feira, 16/07), às 10h, no auditório do Instituto de Letras e Comunicação (ILC), nós, estudantes de Comunicação Social da Universidade Federal do Pará votamos pela paralisação das atividades curriculares da Faculdade de Comunicação (FACOM) por tempo indeterminado.

 

Problemas como falta de equipamentos, auxiliares de gravação, carro de reportagem e defasagem da ilha de edição e decupagem audiovisual expuseram as fraturas de um curso precarizado, fizeram com que as professoras do Laboratório de Telejornalismo e o módulo de TV do laboratório de Comunicação Institucional decidissem paralisar as atividades parcialmente na última sexta-feira, 12 de julho.

 

Mas percebemos que a deficiência na infraestrutura da Facom é crônica e debilita as atividades pedagógicas de praticamente todas as disciplinas e turmas. Quem sente os efeitos desses problemas não somos somente nós, estudantes, mas todos aqueles que vivem e constroem a Comunicação nessa faculdade. É hora de estancar o sangramento.

 

A paralisação que votamos não se identifica em nada com as definições no começo desta carta. Ela é uma opção ativa, um basta em retórica e, principalmente, em ação ao estado em que se encontra o curso e a Faculdade de Comunicação. Por entender que não adianta prosseguir sem qualidade e condições de os estudantes, como categoria, andarem em um caminho circular, que leva a mais um semestre de frustrações e lacunas na formação. É por saber que os trâmites burocráticos não são suficientes para atender nossas demandas a tempo e a contento que saudamos e nos reconhecemos na luta dos estudantes dos cursos de Cinema e Museologia e convidamos os alunos e professores da FACOM a colocarmos o foco nas seguintes reivindicações:

 

1 – Sobre os projetos de extensão:

Queremos esclarecimentos sobre o que exatamente se constitui o Polo Midiático, bem como a prestação de contas da Academia Amazônia e dos outros projetos de extensão que fazem parte do Pólo Midiático (Rádio Web Ufpa e Oficina de Criação), assim como a apresentação de um inventário com todos os equipamentos utilizados pelos projetos, sendo estes pertencentes à FACOM, ILC ou mesmo via projeto.

-Reivindicamos a desvinculação do uso dos laboratórios às atividades restritas às disciplinas. Queremos garantir possibilidades de usufruto dos equipamentos da faculdade para a experimentação de formatos e linguagens, assegurando mais capilaridade para os projetos de extensão, para que esses possam servir para outras experiências que contribuam ao nosso aprendizado e aos nossos experimentos enquanto alunos e que não se restrinjam ao âmbito das atividades dos bolsistas e voluntários.

2 – Sobre o corpo técnico da FACOM:

– Exigimos a lotação de um técnico-administrativo para cuidar especificamente da sala de Audiovisual, onde se encontram os equipamentos cedidos pela Academia Amazônia. Não admitimos que alunos e/ou professores se submetam a constrangimentos e sejam coagidos a assumir individualmente a responsabilidade sobre a guarda do patrimônio da faculdade.

– Exigimos a lotação/contratação de 02 técnicos-administrativos. A faculdade só conta com um técnico-administrativo e que, no momento está de férias e em breve se aposentará e o segundo técnico foi cedido para a UFRJ. As atividades de toda faculdade estão sob a responsabilidade de uma bolsista da UNIP, que assume na prática responsabilidades que não lhe caberia.

– Exigimos a contratação de um técnico da área de informática para tomar conta dos laboratórios de informática da faculdade. É um absurdo que a faculdade siga investindo na compra de computadores e não pense na manutenção destes. O resultado prático é a subutilização dos mesmos, o gasto irresponsável de dinheiro público, o prejuízo do bom andamento das disciplinas e formação dos estudantes dessa faculdade. Na prática, um prejuízo para a sociedade que, em última instância, garante o orçamento da universidade pública. Atualmente este serviço é feito pela vaga de um bolsista que fica que fica responsável pelos laboratórios pelo turno da tarde, mas nossas demandas são muito grandes pela parte da manhã, no momento das aulas, pois em nosso curso a utilização dos computadores é imprescindível.

3 – Segurança, manutenção do prédio e da estrutura do ILC:

– Reforma estrutural do prédio, que vise solucionar problemas a exemplo das goteiras e rachaduras que hoje podem ser percebidas no Instituto.

– Manutenção, e se necessária a troca, dos bebedouros.

– Higiene e manutenção regular dos banheiros, que constantemente se encontram em condição de insalubridade.

– Exigimos que os banheiros destinados aos deficientes físicos (cadeirantes) sejam abertos, para o uso de qualquer um que precisar e que estes não mais fiquem fechados tendo suas chaves nas mãos de algumas subunidades do ILC.

– Segurança Já! Não esperaremos que sejamos vítimas de violência em nossas salas de aula, como ocorreu recentemente no prédio da pós-graduação de Letras. Vários são os relatos de crimes, como furtos e roubos com reféns nas instalações do Instituto e atualmente não contamos com nenhum posto da empresa de segurança terceirizada em nosso prédio.

4 – Sobre os espaços do Instituto e Faculdade: a copa, os laboratórios de informática da FACOM, a Biblioteca e a Sala de Leitura.

– Queremos esclarecimentos sobre o atual funcionamento da Biblioteca, que hoje consta como sendo setorial do ILC, mas na prática não funciona como tal. Exigimos que a Biblioteca disponibilize empréstimos para os alunos da graduação.

– Queremos esclarecimentos sobre o funcionamento e o motivo pelo qual a sala de leitura da FACOM não está funcionando como tal. Exigimos a reativação imediata.

– Propomos a contratação de um técnico ou bolsista de biblioteconomia para ser responsável pelo zelo da sala e catalogação do material existente na mesma (incluindo TCC’s).

– Solicitamos a abertura da copa para todos os estudantes do Instituto. Atualmente a copa é usada apenas pelos técnicos, professores e bolsistas do instituto, numa política que exclui alunos que necessitam desse espaço da mesma maneira que os funcionários e bolsistas. Pedimos que seja discutida uma forma de viabilizar o controle da copa, mas sem proibir a circulação e o uso desta por parte dos alunos do Instituto.

5 – Sobre o laboratório de audiovisual

– Exigimos a construção de um laboratório de audiovisual da FACOM, com ilhas de edição e material como câmeras, computadores e ilhas de decupagem. E que seja feito um levantamento de todos os recursos humanos necessários ao bom funcionamento de qualquer disciplina e/ou atividades que utilizem saídas externas para produção audiovisual, bem como que esse levantamento seja incorporado ao orçamento do setor ou instância responsável por garantir-lhes apoio técnico. Juntamente, exigimos que o atual estúdio seja reequipado e reestruturado para servir às demandas das disciplinas e laboratórios do curso.

-Aproveitamos para reafirmar a nossa solidariedade e apoio a justa paralisação das professoras e incorporamos neste manifesto a pauta por elas apresentadas, requerendo também uma solução imediata para o andamento dos laboratórios de Telejornalismo e Comunicação Institucional que estão em curso nesse semestre.

6 – Outras reivindicações:

– Solicitamos que seja incorporado ao ensino das disciplinas e laboratórios oficinas ou cursos que capacite os alunos para utilização de programas e softwares que são indispensáveis nas atividades desenvolvidas na área da comunicação (ex: Photoshop, Corel Draw, InDesign, editores de áudio e vídeo…).

– Exigimos a reforma imediata do Bloco F que atualmente se encontra em péssimas condições de estrutura física e elétrica.

– Exigimos a solução imediata para o problema do aluno Denilson Lopes que é portador de deficiência física e por esse motivo tem muita dificuldade no deslocamento para assistir as aulas que acontece no ILC e no Bloco F, em horários muito próximos.

Belém, 16 de julho de 2013.

Estudantes da Faculdade de Comunicação Social.

Anúncios

3 comentários em “Carta dos Estudantes de Comunicação da UFPA sobre a paralisação

  1. Não sei quem é você “eu” (apenas imagino o tamanho do seu cérebro), mas provavelmente desconhece a importância do curso de Comunicação Social para a sociedade, é por causa da comunicação social que você pode ter acesso à informação e , inclusive, ter a liberdade de dizer as baboseiras que disse aqui. Todos os cursos e profissões são importantes para uma sociedade, desde o gari (que provavelmente deve limpar as sujeiras que você deve jogar pela rua) até o diplomata ou médico.

  2. Já fazem um “curso” (entre aspas mesmos, porque isso é tão inutil que nem deveria levar tal título) totalmente inútil para a sociedade, patrocinado pelos impostos de pessoas que trabalham de verdade, e ainda querem mais….
    Nem adianta argumentar, pois, se os mesmos tivessem QI ao menos “mediano”, estariam em um curso de verdade (dessa vez, sem aspas).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s