Manifesto de Apoio ao Prof. Fábio Castro e Prof.ª Alda Costa e sua decisão de descredenciamento do PPGCom

O Centro Acadêmico de Comunicação Social declara o apoio à gestão que seria composta pelos docentes do Curso de Graduação em Comunicação Social, Fábio Fonseca de Castro e Alda Cristina Costa, para coordenar o Programa de Pós-Graduação Comunicação, Cultura e Amazônia (PPGCom), que foi eleita em junho e que não assumiu até o presente momento devido a manobras burocráticas da gestão que ainda continua na coordenação do programa.
O CACO também lamenta a decisão de os docentes citados descredenciarem-se do PPGCom, que foi tomada mediante os entraves que estavam sendo postos à assunção da gestão e à implantação do seu projeto para a pós-graduação. Entraves estes causados, sobretudo, pelo modelo por meio do qual o PPGCom é gerido, baseado na disputa por poder, em que a ética e a construção de um projeto agregador, que colabore com a consolidação de pesquisa e produção de conhecimento sobre o contexto amazônico, são desconsiderados em prol de projetos que visam, sobretudo, a obtenção e manutenção do poder que a coordenação do programa representa.
Entendemos que a pós-graduação é um âmbito que precisa ser adequadamente valorizado e gerido, com fins de construir e dar relevância ao campo científico da Comunicação da região Norte e, mais propriamente, Amazônia. É reduto para o qual as atividades da graduação têm a possibilidade de convergir e dialogar, inclusive pela presença de discentes que venham do curso de graduação da Faculdade de Comunicação da UFPA. Desse modo, a permanência do modelo de gestão que está sendo praticado, representa estagnação e dificuldade de acesso pelos estudantes que vêm da graduação.
Não podemos nos esquecer da relação que a pós-graduação têm estabelecido com a Faculdade de Comunicação, já denunciada pela própria direção e percebida por todos os estudantes, que consiste em ignorar os docentes na condução de suas atividades e organização de eventos. O Centro Acadêmico está ciente da relevância de acompanhar os acontecimentos relativos a esse processo, motivo pelo qual está recolhendo informações e buscando dialogar com os envolvidos, com a finalidade de participar de um processo que garanta um desfecho positivo à crise pela qual este polo de formação de profissionais e produção de conhecimento está passando.

Reproduzimos abaixo carta do professor Fábio Fonseca de Castro, em que ele explica as razões para a solicitação do seu descredencimento do programa.

“Utilizamo-nos deste para informar, ao colegiado do Ppgcom, que declinamos da nossa eleição para coordená-lo. Ato contínuo, solicitamos nosso imediato descredenciamento do programa.
Se aceitamos ocupar a coordenação do programa foi para criar uma alternativa ao autoritarismo do projeto que lá está. Oferecemos nosso nome para coordená-lo com o objetivo de reverter a situação de hostilidade em relação à Faculdade de Comunicação e para estabelecer patamares de cooperação, por meio de trabalhos integrados, em grupos e projetos de pesquisa, capazes de ampliar o envolvimento de professores e alunos do curso de comunicação nas atividades de pesquisa próprias do mestrado.
Faze-lo teria sido agir endogenamente, preparando, de maneira consequente, a entrada futura de professores da Facom no programa e, ao mesmo tempo qualificando os alunos da graduação para que pudessem se preparar melhor para a pesquisa. Ciente da hostilidade de alguns em relação a esse projeto, estávamos dispostos a fazer um trabalho paciente, construindo um PPGCOM para o futuro, reformulando a máquina já existente e acalmando os interesses paroquiais num projeto maior. Em suma, pretendíamos melhorar o mestrado, por assim dizer, “a partir de dentro”. Porém, confrontados com ataques pessoais, irracionais e intempestivos; confrontados com atos tão incrivelmente mesquinhos, inadmissíveis numa instituição pautada pela racionalidade científica, chegamos à conclusão de que o esforço seria vão: um desperdício dos recursos públicos, do tempo de pesquisa e ensino dos professores com boa vontade para o projeto e, em geral, do esforço comum.
O clima de hostilidade evidenciado nos últimos meses impede de maneira absoluta e decisiva qualquer proposta de construção coletiva. Nesse cenário inóspito, torna-se infrutífera nossa proposta e vão todo esforço que possamos fazer para concretizá-la. As incontáveis agressões verbais que temos sofrido por parte de alguns membros do colegiado constituem um desrespeito inaceitável em uma comunidade científica.
Essas agressões evidenciam o quanto a ciência pode se amesquinhar na construção de pequenos poderes e se tornar refém de projetos isolados e egoístas. Evidenciam, igualmente, o quanto a Academia se distancia da sua missão de educação e pesquisa, construindo falsos projetos e falsos compromissos baseados em disputas paroquiais e improdutivas.
Nosso trabalho científico e nossa sempre aberta disposição para a cooperação e para o debate público demonstram o quanto respeitamos e estimamos a construção coletiva. Além disso, nossa experiência de gestão já nos ensinou que se não há condições organizacionais prévias, em equipes pequenas, o esforço empreendido será desperdiçado.
Acreditamos no bem comum, no bem público e na construção colaborativa do trabalho acadêmico. Acreditamos no respeito, na humildade e no coletivismo do trabalho científico. Acreditamos numa universidade pública respeitosa do trabalho dos pares e da experiência dos pesquisadores amazônicos e repudiamos a maneira como os professores João de Jesus Paes Loureiro e Manuel José de Sena Dutra foram tratados pelo programa. Acreditamos no valor atemporal de um Regimento legitimamente vigente e repudiamos toda possibilidade de alterá-lo. Acreditamos que um mestrado deve trabalhar juntamente com a graduação. Acreditamos na missão de fazer uma pesquisa amazônica com pesquisadores comprometidos com a região.
Saímos do Ppgcom com a certeza de que contribuímos grandemente com ele – infelizmente, em vão. Evidentemente lamentamos pelo programa e estimamos aos que com boas intenções prosseguem em seu colegiado o bom êxito que moveu nosso trabalho e nosso esforço por criá-lo, desejando que recupere, nos seus embates futuros, o espírito de comunidade, de solidariedade e respeito que o moveu como projeto.
De nossa parte, continuaremos pesquisando e produzindo no campo da comunicação e procurando fazer um trabalho original, cuidadoso e, sobretudo, comprometido com a sociedade amazônica. Continuaremos participando ativamente do debate público e de todo esforço comum pela construção de uma universidade melhor, mais séria, mais próxima da realidade e mais competente.”

 

CACO promove minicurso preparatório para apresentações acadêmicas

Com o intuito de auxiliar os alunos que vão apresentar trabalhos no Intercom Nacional (seja no Intercom Jr., seja no Expocom), o Centro Acadêmico de Comunicação Social promoverá na próxima quarta-feira, 20, às 8h, o minicurso “Apresentando: suas ideias ainda melhores”. O evento será ministrado por Weverton Raiol e Suelen Miyuki Guedes, publicitários e campeões nacionais do Expocom pela FACOM acontecerá no laboratório 1 da Faculdade de Comunicação e terá emissão de certificado de participação.

O minicurso pretende mostrar a importância de uma boa apresentação na exposição de uma ideia, discutindo as partes do processo de elaboração de slides, como roteiro, identidade visual e outros recursos que, se bem utilizados, podem ser ferramentas úteis no processo de comunicação.

Preste atenção que as vagas são limitadas, então se inscreva o mais rápido possível enviando nome completo, habilitação e ano para cacoufpa.ufpa@gmail.com e boa sorte!

A gente se vê lá!

Documentos e procedimentos necessários do auxílio para o Intercom

Já recebeu sua carta de aceite? Já tá preparando as malas para Foz do Iguaçu? Agora é hora de correr para conseguir os auxílios de transporte e de custo que a Pró-Reitoria de Extensão da UFPA (PROEX) disponibiliza.

São dois tipos de auxílio: auxílio transporte (que paga a passagem de ida e volta de ônibus para o aluno) e ajuda de custo (que disponibiliza R$45 por cada dia da viagem de congresso para o estudante).

Para fazer a solicitação, você precisa entregar os seguintes documentos ao CACO em formato impresso até a próxima segunda-feira, 4, às 20h:

a) Ofício do aluno solicitando passagem ou ajuda de custo, ou ambos auxílios desde que em processos distintos, com justificativa da solicitação e informando não ter ainda solicitado, nem recebido passagem ou ajuda de custo durante o ano de 2014, conforme o caso da solicitação. Exemplos desses ofícios estão disponíveis aqui.

c) Comprovante de Matricula do semestre passado (1º semestre de 2014) ou Declaração de ser aluno regularmente matriculado no semestre em curso.

d) Histórico Escolar atualizado. Pode ser obtido em pdf través do site do SIGAA-UFPA, como na imagem abaixo

Histórico

e) Cópia de documento de identidade e CPF.

f) Carta de aceitação do trabalho no evento, disponível na área reservada do Intercom Nacional.

g) Resumo do trabalho a ser apresentado.

h) Programação do evento, disponível aqui.

i) Preenchimento do Formulário de Requisição de Transporte (para passagens) e/ou Preenchimento do Formulário de Requisição de Auxilio Financeiro (Ajuda de Custo), modelo disponível aqui.

O Centro Acadêmico de Comunicação Social levará as solicitações a PROEX e, então, aguardaremos o resultado e faremos os procedimentos necessários.

Sendo a requisição bem sucedida, o aluno deverá fazer um Relatório final da participação do beneficiado no evento e encaminhar pessoalmente a DAIE/PROEX até 10 (Dez) dias após o término do evento, contendo a avaliação sucinta dos resultados alcançados, conforme este modelo. Anexos aos relatórios, cópia(s) do(s) bilhete(s) ou passagem(ens) e do certificado de participação no evento. Havendo publicação do trabalho sob qualquer forma e suporte, o mesmo deve ser informado.

O não envio do relatório constituirá situação de inadimplência e acarretará no impedimento da concessão de novos apoios ao beneficiário inadimplente.

Boa sorte!

 

Contatos para entrega dos documentos: Sérgio Ferreira (83416955) e Alice Martins Morais (81715348).

Calouros têm a chance de ganhar bolsa de pesquisa

Um dos caminhos a se seguir na Comunicação Social é o meio científico, no qual se produz o conhecimento que ajuda a entender nossa complexa área. A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), em conjunto ao  Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), do Governo Federal, oferece a oportunidade de calouros ingressarem nesse meio: é o programa Jovens Talentos Para a Ciência (JTC).

O Jovens Talentos para a Ciência é destinado a estudantes de graduação do primeiro ano de todas as áreas do conhecimento de todas as universidades e Institutos Federais de educação do Brasil. Seu objetivo é inserir precocemente os estudantes no meio científico, preparando-os para os outros programas científicos da CAPES: o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC) e o Ciência sem Fronteiras (CsF).

O programa iniciou em 2012 e, nesta terceira edição, podem participar alunos que entraram no ensino superior federal no segundo semestre de 2013 ou no primeiro semestre de 2014. A inscrição é gratuita e feita através do site da Capes até às 23h59 do dia 06 de julho de 2014, podendo validar até o dia 7 de julho. Acesse o Edital e observe calendário.

O JTC cede uma bolsa de cerca de R$400 mensais com duração de 12 meses, com início em janeiro de 2015. No total, serão concedidas até 11 mil bolsas de Iniciação Científica. Os candidatos serão classificados em ordem decrescente das notas obtidas na prova seletiva.

A prova será de conhecimentos gerais, abordando conteúdos de ciências exatas, biológicas e humanas (como no Exame Nacional de Ensino Médio – ENEM). Será feita em 14 de setembro, às 13h, e o resultado sai a partir de dezembro de 2014.

E o que o aluno ganha com isso?

Além da bolsa, o estudante integrado no Jovens Talentos para a Ciência é inserido em um grupo de pesquisa, no qual poderá aprender a reconhecer o funcionamento da pesquisa, a metodologia e a linguagem científica necessária, além de ter o contato com os eventos e revistas que colaboram com esse meio e, principalmente, obter um grande amadurecimento teórico, o que facilita o entendimento das disciplinas da própria faculdade.

Inscreva-se!

Desde a primeira edição do programa, em 2012, o Jovens Talentos para a Ciência já contemplou 15.667 estudantes ao redor do Brasil, sendo 2 da Faculdade de Comunicação da UFPA: uma estudante de 2012 e outra de 2013. Vamos aumentar esse número? Inscreva-se, estude e boa sorte!

Inscreva seu artigo no Intercom Nacional!

Um dos congressos de Comunicação Social mais esperados do ano está chegando: o Intercom Nacional em Foz do Iguaçu, Paraná, que vai ocorrer entre os dias 1 e 5 de setembro de 2014. Agora é a hora de resgatar aquele artigo científico que você fez para o trabalho final de alguma disciplina que já passou e inscrevê-lo para apresentar no evento.

O espaço destinado para os artigos de graduandos e recém-graduados é o Intercom Jr., que acontecerá nos dias 3 e 5 de setembro, pela manhã e pela tarde durante o congresso. O participante pode inscrever até dois artigos, sendo aluno-líder de apenas um deles, ou seja, só pode apresentar um artigo.

Os estudantes interessados em participar devem realizar o pagamento da inscrição do congresso (R$168) até segunda-feira, 14 de julho, e submeter o trabalho até sexta-feira, 18.

Obs.: Esse pagamento dá direito ao acesso de toda a programação do Intercom Nacional e ao certificado de participação das atividades do evento.

Regras para o artigo

Como consta na página da Intercom, os trabalhos devem ser escritos em Word, fonte New Roman 12, deverá ter de 10 a 15 páginas, incluindo bibliografia e apresentar, no início, título, nome do autor, instituição a que pertence. A estrutura dos textos inclui resumos em português e inglês, palavras-chave, referencial teórico-metodológico, descrição do corpus pesquisado e dos principais resultados, conclusões e bibliografia citada.

Todos os participantes do Intercom Junior deverão fazer sua inscrição no congresso na categoria de estudante de graduação e encaminhar os trabalhos por meio do sistema informático da INTERCOM, obedecendo às normas estabelecidas para essa categoria.

Por que apresentar um artigo no Intercom?

Além de ser uma forma de representar positivamente sua universidade Brasil afora, a apresentação de um artigo de sua autoria agrega valor ao seu currículo lattes, faz ganhar experiência em falar em público e ainda proporciona a chance de participar de um grupo de discussão do mesmo tema que você estudou.

Como símbolo de reconhecimento, todos os trabalhos do Intercom Jr. Nacional estão automaticamente concorrendo ao Prêmio Vera Giagrande, que oferece certificado de premiação aos três melhores artigos da edição. Saiba mais aqui.

E, como se não fosse o bastante, quem apresenta trabalho (tanto no Intercom Jr. quanto no Expocom) tem o direito de ganhar ajuda da Universidade Federal do Pará para estar lá, em Foz do Iguaçu. São dois tipos de auxílio: auxílio transporte (que paga a passagem de ida e volta de ônibus para o aluno) e auxílio diária (que disponibiliza R$45 por cada dia da viagem de congresso para o estudante).

Mas essa ajuda só poderá ser obtida se você receber a carta de aceite (que está prevista para chegar até 1º de agosto), então tome cuidado para obedecer a todas regras de formatação do artigo, hein?

O CACO – Centro Acadêmico de Comunicação Social da UFPA – vai recolher os documentos de todos os alunos ainda no início de agosto para fazer a comunicação com a PROEX – Pró-Reitoria de Extensão – para solicitar os auxílios de todos os estudantes que quiserem (e puderem).

Boa sorte e bom trabalho!

CACO realiza debate entre as chapas que disputam o Sinjor-PA

As aulas, os trabalhos acadêmicos, as demandas do estágio e até a fila do RU estão te impedindo de acompanhar a movimentação das chapas que disputam a eleição do Sindicato dos Jornalistas no Estado do Pará, o Sinjor? É, a vida não está fácil para ninguém, mas tu não podes ficar de fora desse momento decisivo para os jornalistas paraenses.

Pensando nisso, o Centro Acadêmico de Comunicação Social da UFPA promoverá um debate entre as duas chapas que estão disputando a nova diretoria do Sinjor-PA. O evento ocorrerá na próxima sexta-feira, 16 de maio, a partir das 9h da manhã, no auditório do Instituto de Letras e Comunicação da UFPA.

Por uma questão de organização, somente dois integrantes de cada chapa participarão ativamente do debate: de um lado, a Chapa 1 (Sou Mais Sinjor: Jornalistas, é hora de somar!), representada pelas jornalistas Roberta Vilanova e  Eliete Ramos; do outro lado, a Chapa 2 (Mudança Já! Sindicato é para lutar!), representada pela jornalista Helena Palmquist e pelo repórter fotográfico Elcimar Neves.

O objetivo do debate é promover diálogo entre o mercado de trabalho e a academia e essa iniciativa é o primeiro passo em busca de um contato mais próximo entre as partes envolvidas nesse processo. Além disso, é de suma importância que os estudantes de Jornalismo acompanhem as discussões em relação ao sindicato que irá representá-los em um futuro bem próximo.

Convidamos somente dois integrantes de cada chapa para compor o debate, mas os demais componentes das chapas também estão convidados para fazer parte desse momento. Aliás, todos estão convidados. Estudantes, professores, jornalistas… Venham  e participem desse importante momento de diálogo entre o mercado de trabalho e a academia!

Serviço – Debate entre as chapas do Sinjor

Data: 16/05/2014.

Hora: 9h.

Local: Auditório do Instituto de Letras e Comunicação da UFPA.

Situação: Entrada franca.

Parabéns aos trabalhos apresentados no Intercom Norte 2014

O Centro Acadêmico de Comunicação Social da UFPA – CACO – parabeniza os 72 trabalhos de alunos e professores da Faculdade de Comunicação – FACOM – apresentados no Intercom Norte 2014. Essa participação acadêmica foi a maneira de representar a faculdade no Congresso Regional, que não valorizou de forma suficiente a FACOM em sua programação.

O CACO apóia e incentiva a produção e participação dos discentes e docentes em congressos, revistas e anais, como os organizados pela Intercom, por exemplo, apesar da falha da organização do Congresso Regional deste ano. Esperamos também que a discussão sobre a representação da faculdade se expanda e, ao mesmo tempo, as inscrições de trabalhos aumentem nas próximas edições.

Parabenizamos ainda os nove trabalhos vencedores do Expocom Norte 2014 (em negrito) que representarão a UFPA em Foz do Iguaçu, no Congresso Nacional de Comunicação, o Intercom Nacional, entre os dias 1º e 5 de setembro de 2014.

Segue lista completa dos trabalhos apresentados e seus respectivos líderes/autores no Intercom Norte 2014:

Expocom

Revista QG – Arthur Medeiros de Oliveira

Circulando: uma experiência de redescoberta e orientação do rádio para jovens – Fábia Maria Sepêda Brabo

Só te digo vai – Thaís Christina Coelho Siqueira

Trabalho infantil na Amazônia – Mayra Leal do Nascimento

Blog Os Apocalípticos: a experiência da formação de uma agência jr. de jornalismo – Alice Martins Morais

Olha a feira! – Luiz Gustavo Dias Ferreira

Esquizofrenia: uma análise sobre simulacros e simulações – Geovany Dias Silva

Vinheta de Olha a Feira – Lorena Saraiva da Silva

Made in Brazil: a hibridização musical no rádio – Dienes Maciel Ferreira

Trapiche urbano: as crianças da região amazônica – Jessé Andrade Santa Brígida

Diálogos ambientais – a radionovela – George Luiz Miranda da Silva

Ana e a TV – O indivíduo da indústria cultural – Gregory Ferreira Lago

O bagageiro – Gustavo Antonio Aguiar

Redesign de marca, Palácio Bolonha: a representação de uma memória – Leonidas Dias da Silva

O lado negro do cisne – Jobson  Murilo Barbosa Marinho

Morena açaí – Maxleno Brito da Costa Junior

Revista Planeta Vermelho – Renan Luz Barreto

Dailha – PDV Copa do Mundo 2014 em supermercados – Luiz Carlos Cordeiro dos Santos Júnior

Campanha publicitária Tapiocas Grão Pará – Maycon Sulyvan Brito Pantoja

Jingle Soul Temakeria – Bruna Nascimento Freitas

Spot ISITEC – Ingrid Amanda Ribeiro Bittencourt

Cartaz da Muvuca na Cumbuca 2013 – Weverton Raiol Gomes de Souza

 

Intercom Jr e Divisões Temáticas

As narrativas da violência nos programas jornalísticos paraense: um estudo de caso do Balanço Geral – Alexandre Cunha, Marcus Passos e Danuta Leão

O discurso jornalístico sobre as mudanças climáticas na revista Carta Capital – Luciana Miranda Costa, Camila Pinheiro Cordeiro de Miranda e Layze Machado da Silva

A publicação de uma foto falsa no Diário do Pará: discursos, verdades e relações de poder – Avelina Oliveira de Castro

A informação na interface entre publicidade e jornalismo: análise dos cadernos mercadológicos dos jornais paraenses O Liberal e Diário do Pará – Monique Feio Igreja

Narrativas de violência: a morte na periferia e acontecimento na mídia impressa paraense – Sérgio do Espírito Santo Ferreira Júnior, Alana da Silva de Menezes e Alda Cristina Silva Costa

Jornalismo de trincheiras: a imprensa paraense na cobertura da Primeira Guerra Mundial – Jessé Andrade Santa Brígida, Lorena Saraiva da Silva, Thaís Christina Coelho Siqueira e Netília Silva dos Anjos Seixas

O Jornalismo fora de foco: reflexões das narrativas do Jornal Diário Do Pará – Israel Martins Araujo, Vitória Mendes Alves e Alda Cristina Costa

Na superfície da neutralidade: uma análise das representações sociais dos repórteres do Diário do Pará e de O Liberal sobre o conceito de neutralidade jornalística – Bianca Leão e Netília Silva dos Anjos Seixas

O corpo da mulher e seu lugar midiático no Amazônia Jornal – Nathan Nguangu Kabuenge e Alda Cristina Costa

Jornal impresso e internet: um desafio pela sobrevivência – Franciane Pacheco Santos

Breves questionamentos dos princípios do Código de Defesa do Consumidor à publicidade e propaganda de produtos alimentícios – Kelline Feitosa de Araújo e Kellice Feitosa de Araújo

Campanha “Leia para uma criança”: diversas formas de emocionar – Ana Laura Quaresma da Costa e Danuta de Cássia Leite Leão

Vai aí a Kombi: análise do processo criativo da campanha de (des)lançamento – Miller Kaio Ferreira Farias e Danuta de Cássia Leite Leão

Mais que mil palavras: a importância do visual na comunicação entre marca e consumidor – Andreza Jackson de Vasconcelos e Scarleth Yone O´hara

Escravos do botão curtir: análise do Instagram a partir da obra Simulacros e Simulações de Jean Baudrillard – Ana Carolina Barreiros, Ana Lidia Vieira, Andrezza Borges e Manoela Moraes

Um olhar preliminar sobre a Amazônia: comunicação e audiovisual em Belém do Pará – Raissa Lennon Sousa e Luciana Miranda Costa

Ontem, hoje e sempre Coca-Cola: emoção pra valer – Luiz LZ Cezar Silva dos Santos

Documentário Belém-Brasília – rodovia da Unidade Nacional e um episódio do Globo Rural: a produção de redes de memórias sobre a Amazônia – Rodrigo Wallace Cordeiro dos Santos  e Ivânia dos Santos Neves

Confusões conceituais: reflexões a respeito da comunicação pública – O caso da rádio Cultura FM do Pará – Rosana Medeiros e Alda Cristina Costa

O consumo infantil: da TV aos mundos virtuais – Danuta de Cássia Leite Leão

Sites educativos: elemento de construção na identidade infantil – Kassya Dy Karly Lima Alves e Danuta de Cássia Leite Leão

Cibercultura de bolso ou convergência cultura? Revisão de perspectivas acerca do (web)jornalismo de Belém-PA – Diogo Silva Miranda de Miranda

Moda e internet: estudos preliminares sobre o uso de mídias sociais para falar de moda na web – Marília Jardim de Figueiredo e Pedro Henrique Loureiro de Bragança

“Diva Depressão” e a recepção do Grotesco no Facebook – Lays Teixeira, Camila Lima, Dienes Ferreira, Larissa Andrade e Danuta de Cássia Leite Leão

90 minutos em 140 caracteres: acompanhando jogos de futebol pelo Twitter – Carlos Fernando dos Santos Pinheiro e Danuta de Cássia Leite Leão

Análise da página “M0nt4g3ns b3l3m” no Facebook – Rogerio Andreson de Almeida Silvae Danuta de Cássia Leite Leão

Rádio e religião: um estudo da recepção da mensagem religiosa transmitida no programa “Culto doméstico” em Belém – Alesson Luis Rodrigues Lameira e Danuta de Cássia Leite Leão

Black Friday: um estudo reflexivo sobre a midiatização e processos culturais em um evento do consumo – Fábia Maria Sepêda Brabo, Beatriz dos Santos Pastana, Michel Brendo Viana Mesquita, Sérgio do Espírito Santo Ferreira Júnior e Élida Fabiani Morais de Cristo

Apropriação midiática: o público do UFC em Belém – Antonio Edson Alcântara Bastos, Juliana Monteiro Maués, Vitória Mendes Alves e Danuta de Cássia Leão

Pretty Little Liars – da televisão para as mídias digitais: um estudo sobre fãs – Gregory Ferreira Lago, Rayssa Angélica Bessa Mazzini e Danuta de Cássia Leão

A percepção de adolescentes sobre Meio Ambiente, nos Bits de uma webradio – Luis Fernando Pinheiro Machado

Dilma Bolada e a hiper-realidade: o efeito do real a partir do falso – Geovany Dias Silva, Gregory Ferreira Lago e Élida Fabiani Morais de Cristo

Uma proposta de estudo sobre a Amazônia a partir das narrativas produzidas no site da Agência Pública de Reportagem e Jornalismo Investigativo – Pedro Loureiro de Bragança

Um panorama acerca da implementação do marketing on-line em Belém – Caio Vieira dos Santos e Danuta de Cássia Leite Leão

Novela.com: websites de telenovelas e a relação entre realidade e ficção – Luiz Gustavo Dias Ferreira e Danuta de Cássia Leite Leão

Fama ardilosa: a obsessão pela reputação em extras como retrato da sociedade contemporânea – Paula Mariana Pantoja Oliveira, Arthur Medeiros e Élida Fabiani Morais de Cristo

Literatura, Comunicação e Artes Visuais: a “Última Ceia” de Leonardo da Vinci e seu legado – Taiane Lima, Nathan Nguangu Kabuengue, João Micuanski, William Costa da Silva e Lívia Lopes Barbosa

A “tele-visão” do mercado religioso: uma análise da estratégia televisiva da Igreja Universal do Reino de Deus – Rodrigo Cabral da Silva e Raymundo Heraldo Maués

Os 50 anos da ditadura militar na Amazônia: guerrilhas, lutas e resistência alternativa na floresta – Célia Regina Trindade Chagas Amorim, Lanna Paula Ramos da Silva, Milene Costa Souza e Natália Cristina Rodrigues Pereira

Os caminhos e desafios de empreender no mercado de comunicação da Amazônia: a experiência da Agência “divulga” – Abílio Dantas Cavalcante Neto, João Batista Chaves da Cunha, Moisés Taate Alves Sarraf e Raynéia Silva Machado

Estação direitos nas ondas do rádio: estratégias comunicativas para a promoção da cidadania de crianças e adolescentes – Lorena Cruz Esteves e Luciana Miranda da Costa

O movimento feminista como mídia radical através do movimento marcha mundial das mulheres – Camila Lima, Larissa Andrade, Lays Teixeira e Luciana Miranda da Costa

Movimentos sociais da Amazônia nas redes sociais: as estratégias de comunicação do Movimento Xingu Vivo para Sempre – Tatiana Nazaré Amaral FERREIRA (FEAPA) e Rodrigo Quites REIS (UFPA).

Análise cartográfica da Região de Integração do Rio Capim e o município de Ourém sobre a perspectiva da música do Festival da Canção Ouremense – Gustavo Aguiar, Laís Nunes, Lays Teixeira e Alda Cristina Costa

Contribuições de Jane Austen para o desenvolvimento da mulher moderna e o reverso do discurso contra hegemônico em Stephanie Meyer – Eduarda Eline Coelho da Silva, Luciana Vasconcelos, Milene Costa de Sousa, Natália Cristina Rodrigues Pereira e Danuta de Cássia Leite Leão

Experiência estética, comunicação e jornalismo: possibilidades do acontecer – Felipe Jailson Souza Oliveira Florêncio e Carolina Maria Mártyres Venturini

A capoeira como Simulacro Simulado – Lívia Renata da Silva Brito, Nathan Nguangu Kabuengue, William Costa da Silva e Élida Fabiani Morais de Cristo

Signo videogame: a comunicação semiótica no jogo Heavy Rain – Nilson Santarém NUNES e Lívia Lopes Barbosa

Hitler e Nazismo: sobre Arte, Estética, Comunicação e Ideologia – Fernanda Danielly Libdy Miranda, Juliana de Kássia Oliveira Angelim e Landara Serrão Mendes

Identificar o indivíduo pós-moderno no filme Clube da Luta – Maycon Sulyvan Brito e Danuta de Cássia Leite Leão

No picadeiro, a inclusão social: a Escola Circo como prática de democracia cultural na Amazônia – Phillippe Sendas de Paula Fernandes (Universidade do Porto/UFPA) e João Teixeira Lopes